Trabalho de mestrado defende que Orkut pode ser usado como plataforma para fins educacionais

Organizar uma festa de despedida, anunciar a venda de um objeto, compartilhar vídeos e textos são atividades comuns entre participantes de redes sociais. Mas um grupo de estudantes brasileiros viveu recentemente a experiência de fazer tudo isso usando a língua inglesa – e essa experiência mostrou que redes como o Orkut, projetadas sem pretensões pedagógicas, podem ser boas ferramentas para ensino do idioma.

A conclusão é da professora Helen de Oliveira Faria, que defendeu dissertação de mestrado sobre o tema, na última semana de agosto, junto ao programa de pós-graduação em Estudos Linguísticos, da Faculdade de Letras (Fale) da UFMG. A pesquisadora constatou que o ambiente do Orkut propicia o trabalho colaborativo e, “se bem explorado pedagogicamente, pode oferecer inúmeras oportunidades de aprendizagem”.

Ao compará-lo a plataformas criadas com o objetivo de organizar e prover acesso a serviços educacionais on-line, a pesquisa revela que todos têm potencialidades e limitações. “O fundamental é que o ambiente adotado esteja de acordo com os objetivos do professor e com as necessidades dos aprendizes de um determinado contexto instrucional”, continua Helen Faria.

“O trabalho mostra que a escola não pode ignorar os novos letramentos, isto é, as novas práticas sociais da linguagem”, afirma a orientadora da dissertação, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e Paiva. Segundo ela, as atividades escolares devem incorporar os diversos ambientes por onde transitam os alunos, “que não lidam apenas com livros e revistas, mas interagem com outras ferramentas, incluindo aquelas que foram criadas sem fins pedagógicos, como blogs, chats e redes sociais”.

Rede ampliada
A pesquisa surgiu a partir da experiência realizada por professores de graduação em Letras da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), da qual Helen Faria participou inicialmente como aluna. Com o intuito de verificar as possibilidades didático-pedagógicas oferecidas pelo Orkut para o ensino de línguas ela ministrou na mesma instituição, com a professora Liliane Assis Sade Resende, disciplina on-line baseada em tarefas comunicativas exclusivamente na língua inglesa.

Inseridos na comunidade virtual Interaction through the Internet, criada especialmente para a disciplina, os aprendizes cumpriam atividades semanais postadas pela professora, que incluíam visitas a outras comunidades, redação, publicação e avaliação de resenhas de filmes, anúncios, convites e vídeos. “Constatamos que a condução de disciplinas mediadas pelo Orkut pode ser fator motivador da aprendizagem, uma vez que os estudantes já têm familiaridade com as funcionalidades do ambiente e também devido à possibilidade de interação com falantes da língua inglesa”, afirma a pesquisadora, que cita em seu trabalho os termos “nativos digitais” e “imigrantes digitais”, propostos por Marc Prensky.

O primeiro conceito faz analogia a indivíduos que pertencem desde o nascimento a determinado contexto sociocultural, enquanto o segundo refere-se àqueles que devem se adaptar ao novo ambiente. Helen Faria acrescenta a esses o de “quase-nativos digitais”, para designar pessoas que não cresceram cercadas pelas novas tecnologias, “mas tiveram contato com elas o suficiente e em uma idade de desenvolvimento cognitivo que propiciou a internalização das habilidades necessárias para acompanhar e dominar as constantes atualizações dos artefatos na área”.

Tais conceitos explicam a grande aceitação do ensino por meio das plataformas virtuais e a vantagem desse método sobre outras ferramentas, pois o fato de o usuário dominar o ambiente reduz problemas técnicos e o tempo gasto com treinamentos. “É mais fácil estudar em uma plataforma atrativa e com a qual se tem familiaridade”, comenta Helen Faria.

Dissertação: Socializando e aprendendo: a incorporação da rede social Orkut ao ensino de língua inglesa
Autora: Helen de Oliveira Faria
Orientadora: Vera Lucia Menezes de Oliveira e Paiva
Co-orientadora: Júnia de Carvalho Fidélis Braga
Programa: Pós-graduação em estudos Linguísticos da Fale
Defesa: 30 de agosto de 2010
(Boletim UFMG, edição 1709, 9 de setembro de 2010)
http://www.ufmg.br/online/arquivos/016651.shtml

1 Response to “Trabalho de mestrado defende que Orkut pode ser usado como plataforma para fins educacionais”


  1. 1 Paulo Góes 14/09/2010 às 8:56 pm

    Muito interessante! O tema veio a calhar uma vez que pretendo realizar meu TCC com enfoque no aprendizado do Inglês como segunda lingua, utilizando, também, as beneces da Internet. Muito bom! Obrigado, Paulo


Deixe aqui seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Escreva seu e-mail para assinar este blog e saber sobre o envio de novos comentários neste blog.

Junte-se a 88 outros seguidores

Arquivos do blog


%d blogueiros gostam disto: