Archive for the 'espanhol' Category

Novo número da revista Texto Livre. Linguagem e Tecnologia

capa-texto-livre-7-2-2014

Foi publicado mais um número da revista Texto Livre. Linguagem e Tecnologia (volume 7, número 2, de 2014).

Nele aparecem, entre outros textos também muito interessantes, dois artigos dedicados ao ensino da língua espanhola com tecnologias.

No primeiro, intitulado “Ensino de língua espanhola mediado pelas novas tecnologias: da sala de aula ao Facebook“, sua autora,  Elaine Teixeira da Silva,  tece algumas reflexões e experiências obtidas no trabalho com um blog e com um grupo na rede social virtual Facebook.

No segundo texto, “Letramentos digitais e uma sequência didática para o ensino de espanhol“, Elizabeth Guzzo de Almeida e Renata de Souza Lima nos mostram uma Sequência Didática para trabalhar o desenvolvimento da produção escrita colaborativa em língua espanhola e a reflexão crítica sobre o uso das TIC nesse processo.

Veja o último número da revista Texto Livre aqui.

O início dos cursos de espanhol online no Brasil?

Sabemos que o inglês sempre esteve na frente do espanhol quando olhamos para as datas apresentadas em alguns documentos que reúnem as experiências sobre ensino da língua inglesa utilizando a Internet no Brasil, por exemplo em Paiva (2008?) e Pereira (2008), mas independentemente disso, na tentativa de organizar um pouco a história das experiências com o espanhol estive procurando em algumas fontes de informação antigas e encontrei esta joia de um curso feito na internet entre 1999 e 2000 com alunos de uma escola do sul do país.

Trata-se de um texto produzido pela professora e pesquisadora Valesca Irala, que naquela época era ainda aluna do último ano da carreira de letras. Nele relata parte dessa experiência de preparar um curso organizado em dez lições que foi construído colocando em prática seus conhecimentos de html.

irala_curso_1999

O texto do trabalho foi tomado do CD-ROM Tela 1 (2000) e como é de difícil obtenção, foi colocado na seção de artigos na biblioteca deste blog. A imagem do curso é de uma apresentação que a professora Valesca fez em 2010. Vale muito a pena ver também a monografia resultante em que são mostrados mais detalhes desse curso.

Aqui está o texto inicial do ano 2000  e a monografia de 2002:

IRALA,  Valesca Brasil. Alunos do Ensino Fundamental aprendem espanhol na internet. Trabalho apresentado no II Encontro Nacional sobre Política de Ensino de Línguas Estrangeiras. Pelotas, 4-6 de setembro de 2000. In:LEFFA, V. J. (Compilador) TELA (Textos em Linguística Aplicada) [CD-ROM]. Pelotas:Educat, 2000. https://ensinodelinguascomtic.files.wordpress.com/2012/09/irala_2000.pdf

IRALA,  Valesca Brasil. O uso da Internet na otimização da aprendizagem de E/LE. Monografia defendida na Universidade da Região da Campanha, Bagé, RS. 2002. https://ensinodelinguascomtic.files.wordpress.com/2012/09/irala_2002_monografia.pdf

 

Educação abre cursos gratuitos online de idiomas e preparatório para ex-alunos

Egressos da rede estadual paulista entre 2007 e 2013 já podem se matricular nas aulas da EVESP

Veja aqui a notícia sobre os cursos de línguas online da EVESP.

Lembrete do edital em andamento de tecnologias educacionais para ensino de inglês e espanhol

Aló, Aló, professores, editoras e preparadores de material didático em línguas estrangeiras,

Este post é apenas para lembrar que, conforme a notícia anterior que apareceu neste mesmo blog, o  edital para PRÉ-QUALIFICAÇÃO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS PARA O DESENVOLVIMENTO  DE COMPETÊNCIA LINGUÍSTICO-COMUNICATIVA EM INGLÊS OU ESPANHOL encontra-se ainda na fase de recebimento de propostas e essa fase deve estender-se até  o final do mês de fevereiro de 2014.

Ver “MEC seleciona técnicas de ensino de línguas inglesa e espanhola“.

Visite também o portal específico dos editais de tecnologia http://seb.ufrgs.br/portal/

Livro digital chega às escolas públicas em 2015

Estudantes do ensino médio vão usar livros digitais a partir de 2015. O Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) abre nesta segunda-feira (21) o período para inscrições de obras destinadas a alunos e professores da rede pública. A partir de agora, as editoras também poderão inscrever livros digitais – cujo acesso pode ser feito em computadores ou em tablets.

A outra novidade é a aquisição de livros de arte para os alunos do ensino médio da rede pública. Os demais livros a serem comprados pelo governo são os de português, matemática, geografia, história, física, química, biologia, inglês, espanhol, filosofia e sociologia.

Os títulos inscritos pelas editoras são avaliados pelo Ministério da Educação que elabora o Guia do Livro Didático com resenhas de cada obra aprovada. Esse guia é disponibilizado às escolas que aderiram ao PNLD do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Cada escola escolhe, então, os livros que deseja utilizar.

De acordo com o Ministério da Educação, a previsão inicial de aquisição para 2015 é de aproximadamente 80 milhões de exemplares para atender mais de 7 milhões de alunos.

A versão digital deve vir acompanhada do livro impresso, ter o mesmo conteúdo e incluir conteúdos educacionais digitais como vídeos, animações, simuladores, imagens e jogos para auxiliar na aprendizagem. Também continua permitida a apresentação de obras somente na versão impressa para viabilizar a participação das editoras que ainda não dominam as novas tecnologias.

Inscrições

O período de inscrição de obras pelo Programa Nacional do Livro Didático vai até 21 de maio. De 3 a 7 de junho, estará aberto o período de entrega de livros impressos e da documentação. De 5 a 9 de agosto, o de entrega de obras digitais e respectivos documentos.

PNLD

O Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) tem como principal objetivo subsidiar o trabalho pedagógico dos professores por meio da distribuição de coleções de livros didáticos aos alunos da educação básica. Após a avaliação das obras, o Ministério da Educação (MEC) publica o Guia de Livros Didáticos com resenhas das coleções consideradas aprovadas. O guia é encaminhado às escolas, que escolhem, entre os títulos disponíveis, aqueles que melhor atendem ao seu projeto político pedagógico.

O programa é executado em ciclos trienais alternados. Assim, a cada ano o MEC adquire e distribui livros para todos os alunos de um segmento, que pode ser: anos iniciais do ensino fundamental, anos finais do ensino fundamental ou ensino médio. À exceção dos livros consumíveis, os livros distribuídos deverão ser conservados e devolvidos para utilização por outros alunos nos anos subsequentes.

O PNLD também atende aos alunos que são público-alvo da educação especial. São distribuídas obras didáticas em Braille de língua portuguesa, matemática, ciências, história, geografia e dicionários.

Fonte: Agência Brasil / Ministério da Educação, 21/01/2013
http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2013/01/21/livro-digital-chega-as-escolas-publicas-em-2015

Dicionário visual interativo para estudantes

dicionario_visual_interativo_1

A Xunta de Galicia criou um dicionário visual interativo para que os alunos procedentes do estrangeiro possam conhecer e praticar léxico básico em galego  que será essencial para sua vida escolar e fora dela.

O léxico pode ser visto de forma fácil em uma lista ou também aparece agrupado por temas nos diversos cenários interativos, como é mostrado nesta segunda imagem. Existem atividades e jogos diversos para sua prática.

dicionario_visual_interativo_xunta_de_galicia

Este dicionário é muito útil, porque ainda sendo seu primeiro objetivo  facilitar a inserção dos alunos estrangeiros que chegam nas escolas galegas, também pode ser utilizado perfeitamente para praticar esse mesmo léxico essencial com estudantes que aprendem espanhol ou inglês, pois existe a opção dos três idiomas (galego, espanhol ou inglês). As palavras também podem ser escutadas nos três idiomas e com a opção de uma voz feminina ou masculina. Na imagem 3, por exemplo, foi elegido o cenário da lanchonete da escola com o léxico em espanhol e áudio masculino.

dicionario_visual_interativo_cafeteria

Como este dicionário visual Interativo escolar é um recurso preparado especialmente para crianças e jovens, acredito que será muito mais agradável de usar que outros dicionários visuais existentes na internet mais antigos como são The Internet Picture DictionaryLeoloqueveo ou Languaguide. De fato, já foi acrescentado na seção de dicionários da lista de recursos em espanhol que mantemos neste blog.

Plataforma oferece aulas online de inglês e espanhol a alunos da rede pública

Cerca de 30 mil vagas em curso online gratuito de inglês e 25 mil vagas em espanhol são abertas por semestre para alunos da rede estadual de São Paulo. O projeto enfatiza o preparo de estudantes do ensino médio e do EJA (Educação de Jovens e Adultos) para a expressão oral, enquanto as aulas regulares costumam dar mais atenção ao ensino da gramática.

A plataforma é o primeiro curso a distância de Daiane Domingos Ribeiro, 14, que cursa o 1° ano do ensino médio na Escola Estadual Alexandre Von Humboldt, na Vila Anastácio (zona oeste da capital).

“Estudo em período integral e o online é muito bom pela acessibilidade em qualquer hora. Você não tem aquela preocupação com o dia em que tem de fazer as tarefas; acessa quando pode.” “O curso foi muito eficiente para me ensinar a escrita e a pronúncia, além do uso dos verbos e de palavras legais”, avalia.

Para o aluno do 3° ano do ensino médio Felipe dos Santos Lijas, 16, a diferença em relação às aulas que tinha na escola estadual Benedito Tolosa, na zona norte, foi a ênfase na oralidade. “Na escola, o curso de inglês era mais com ênfase na gramática”, conta Felipe, que agora faz o curso de espanhol.

“No espanhol, estou aprendendo a pronúncia das palavras, que são diferentes dependendo da localidade, e pegando boa parte da escrita. É boa a oportunidade porque a minha escola não tem espanhol na grade curricular.”

 Evasão

Em atividade desde 2012, o curso de inglês não usa mais o desempenho como critério de admissão. Com 80 horas de estudo, divididos em oito módulos de dez horas cada, o curso da Evesp (Escola Virtual de Programas Educacionais do Estado de São Paulo) é de nível intermediário e leva aproximadamente quatro meses para ser concluído.

Segundo a coordenadora da Evesp Ana Carolina Nunes Lafemina, o curso tem um aproveitamento de cerca de 30%, mas esse número poderia ser maior.

“O curso é gratuito e não é obrigatório, o que precisa ser levado em conta nas desistências iniciais. Há ainda um processo cultural que precisa ser mudado em relação ao ensino a distância, de que é necessário comprometimento pessoal para levar os estudos adiante”.

Curso

O acesso pode ser feito de modo remoto em um computador residencial ou nas escolas que dispõem de salas de informática. Cada aluno recebe do governo estadual um fone de ouvido com microfone para ouvir e gravar suas falas no idioma estrangeiro.

Já o curso de espanhol, de nível básico, começou a funcionar este ano. Diferentemente do curso de inglês, não dispõe de tutor online e dá preferência a estudantes que estão concluindo o ensino médio e com rendimento escolar. A carga horária é de 60 horas (seis módulos de dez horas cada), que equivalem a seis meses de estudo.

fonte: Cláudia Emi Izumi, UOL Educação, São Paulo, 05/08/2013
URL: http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/08/05/plataforma-oferece-aulas-online-de-ingles-e-espanhol-a-alunos-da-rede-publica.htm


Escreva seu e-mail para assinar este blog e saber sobre o envio de novos comentários neste blog.

Junte-se a 97 outros seguidores

Arquivos do blog