Posts Tagged 'livros didáticos'

O futuro no desenvolvimento de materiais para ensino de línguas

Este é a tradução que fiz do trecho final de um artigo escrito por Brian TOMLINSON intitulado “Materials development for language learning and teaching” (2012). Desculpem qualquer erro porque não sou muito bom traduzindo para o português:

O futuro do desenvolvimento de materiais
O que eu acho que vai acontecer no futuro é que os materiais serão enviados cada vez mais através de computadores e smartphones, que os materiais produzidos comercialmente continuarão proporcionando aos usuários o que eles esperam e que cada vez mais as instituições e países saberão que a única maneira de desenvolver materiais apropriados localmente é fazê-lo eles mesmos. O que eu espero é que as editoras comerciais respondam ao desafio de produzir publicações locais desenvolvendo cursos projetados para ser mais flexíveis, localizados, personalizados e alimentados por professores e alunos. O que eu sei é que os professores vão continuar sua formação como resultado de sua participação no desenvolvimento de materiais, seja como participantes dos cursos, membros das equipes dos projetos ou através da adaptação dos materiais em suas aulas (TOMLINSON, 2012, p. 171).

O original disse:

The future of materials development

What I think will happen in the future is that materials will increasingly be delivered electronically through computers and smartphones, that commercially produced materials will continue to provide users with the materials they expect and that more and more institutions and countries will decide that the only way to develop locally appropriate materials is to do it themselves. What I hope is that commercial publishers will respond to the challenge from local publications and develop more flexible courses designed to be localised, personalised and energised by teachers and learners. What I know is that teachers will continue to develop positively as a result of their involvement in materials development, whether as course participants, members of project teams or adapters of materials in their classrooms (TOMLINSON, 2012, p. 171).

Para ilustrar o que este autor menciona poderiamos colocar alguns exemplos recentes, entre muitos outros:

Exemplo 1- Chamada feita em janeiro de 2013 para que os professores colaborem fornecendo experiências didáticas que tenham utilizado para enriquecer o livro Muito Prazer – Fale o Português do Brasil. Como podemos ver, os contextos colaborativos estão cada vez mais relacionados com a produção e uso de materiais didáticos e está sendo já comum que sejam construídas comunidades, tanto de usuários alunos, quanto de professores, ao redor dos materiais didáticos mais recentes.

disal_chamada_colabora_professores_muito_prazer_2012

  fonte: http://www.disal.com.br/produtos/servidor/325/index.html (acesso em 10 jan. 2013)

Exemplo 2- Materiais do curso “Mundo Hispánico sin fronteras” em processo de desenvolvimento pela CIED-UFAL (2012-2013), como resposta para as necessidades de aprendizagem de línguas estrangeiras incentivadas pelo programa “Ciência sem fronteiras”. Cursos virtuais, massivos ou não, podem ser a solução para o aumento da procura observado nos últimos tempos.

mundo_hispanico_sin_fonteras_2012-2013

fonte: Youtube (acesso em 10 jan. 2013)

referência:

TOMLINSON, Brian. Materials development for language learning and teaching. Language Teaching, v. 45, n. 2, p. 143-179, April 2012. DOI: 10.1017/S0261444811000528

Pierre Lévy prevê substituição do livro didático por computadores e tablets nas salas de aula

O sociólogo defende o uso das redes sociais para ensino e aprendizagem

Brasília – As mudanças tecnológicas tão aceleradas do mundo moderno vão chegar de vez à sala de aula e é bem possível que computadores, tablets e outras plataformas substituam o livro didático e o caderno. A previsão é do sociólogo e professor da Universidade de Ottawa (Canadá), especialista em internet. Ele participou do 5º Congresso Internacional da Rede Católica de Educação, que se encerra amanhã (1º), em Brasília.

“É difícil dizer o que será a civilização no futuro. Aquilo que vamos construir não é imaginável agora. Nos estamos em um momento de grande transformação cultural”, avalia o especialista.

Ele não descarta, no entanto, que as crianças continuem aprendendo habilidades básicas do mundo pré-digital, como a escrita à mão. “A priori, eu diria que é importante ensinar a escrever a mão. É importante manter isso assim como fazer o cálculo mental, apesar de todo mundo ter calculadora”, defende.

Para Lévy, mudarão os materiais pedagógicos e mudarão as competências dos estudantes. “Os alunos do futuro serão pessoas criativas, abertas e colaborativas. Ao mesmo tempo, serão capazes de se concentrar com uma mente disciplinada. É necessário equilibrar os dois aspectos: a imensidão das informações disponíveis, colaborações e contatos; com [a capacidade de] planejamento, realização de projetos, disciplina mental e concentração”.

O sociólogo defende o uso das redes sociais para ensino e aprendizagem. Ele mesmo obriga os seus alunos a criarem grupos no Facebook, postarem textos ou vídeos e participarem de grupos de discussão. “O Facebook é apenas uma das mídias sociais em um contexto de participação. Não são as novas mídias que terão impacto negativo. São as pessoas que postam coisas negativas. É como se perguntar qual o impacto negativo da linguagem porque tem muita mentira. Não é a linguagem que tem impacto negativo, são os mentirosos!”, comparou.

Pierre Lévy acredita que a nova cultura baseada na informática e a economia do conhecimento impliquem novas formas de sociabilidade: ambientes mais colaborativos, em rede e autoorganizados formando uma memória coletiva.

Essas transformações exigirão habilidades que precisam ser ensinadas como a capacidade dos alunos em avaliar as fontes de informação, identificar orientações, ter atitude crítica quanto aos conteúdos.

Ao ser indagado se o país, com baixo índice de aprendizagem generalizado e ainda com número elevado de adultos analfabetos, conseguirá formar seus estudantes com essas capacidades Pierre Lévy foi otimista:

“Eu fico sempre surpreso ao ver até que ponto os brasileiros têm uma ideia negativa do seu próprio país. Primeiramente, vocês estão se transformando na quinta potência econômica do mundo, com uma taxa de crescimento muito elevada. Sim, tem analfabetismo, mas, apesar disso, há um esforço muito importante focado na educação, e o que eu vejo sempre que venho para cá é um monte de pessoas dedicadas para trabalhar na educação.”

Para o sociólogo, o Brasil está ciente de que o futuro do país está no investimento na educação.

“Não fiquem desesperados e continuem com esse entusiasmo extraordinário”, completou. Lévy reconhece que os problemas existem, mas ressalta que eles têm que ser resolvidas com “as ferramentas de hoje e com a visão do futuro”.

fonte: http://oglobo.globo.com/educacao/pierre-levy-preve-substituicao-do-livro-didatico-por-computadores-tablets-nas-salas-de-aula-5363787

Artigos interessantes sobre tecnologia e educação

Três artigos interessantes no site da Veja:

Novas tecnologias exigem novos conteúdos
Para Ana Teresa Ralston, da Abril Educação, desafio do mercado editorial é criar livro didático 100% multimídia.
http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/novas-tecnologias-exigem-novos-conteudos

Por que professores e escolas não caem nas redes sociais?
Simão Marinho, da PUC-MG, fala sobre as dificuldade de integrar educação e sites.
http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/por-que-professores-e-escolas-nao-caem-nas-redes-sociais

Educadores não podem temer novas tecnologias
Editora Salete Toledo diz que escolas precisam se abrir às novidades – que alunos já dominam.
http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/a-educacao-nao-pode-mais-ser-planejada-na-era-de-gutemberg

Escolha de livros de espanhol e inglês para as escolas alagoanas

Professores escolhem livros didáticos em AL

Até o próximo dia 14 junho, acontecem os seminários para escolha dos livros didáticos do Ensino Fundamental. Este ano, as escolas escolherão os livros das disciplinas de Língua Portuguesa, História, Geografia, Ciências, Matemática e Língua Estrangeira. Estes títulos serão utilizados no triênio 2011/2013.

ver mais em: http://bit.ly/a36M0O


Escreva seu e-mail para assinar este blog e saber sobre o envio de novos comentários neste blog.

Junte-se a 97 outros seguidores

Arquivos do blog